Compra e Venda de Casa
Em Abril de 1974 comprar casa em Portugal custava 70€

Em Abril de 1974 comprar casa em Portugal custava 70€

Em Portugal, assim como em muitos outros países, os preços dos imóveis têm sido afetados por diversos fatores ao longo das décadas.

Neste artigo, iremos comparar os preços dos imóveis em Portugal hoje, em 2023, com os preços em abril de 1974, época em que ocorreu a Revolução dos Cravos, que derrubou o regime ditatorial em vigor no país.

Em 1974, os preços dos imóveis em Portugal eram significativamente mais baixos do que hoje. De acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), em 1974, o preço médio de uma habitação em Portugal rondava os 14 mil escudos, o que equivale a cerca de 70 euros na época. Naquele ano, o salário mínimo em Portugal era de 3.300 escudos por mês.

Após a Revolução dos Cravos, o país passou por um período de instabilidade política e econômica, o que afetou diretamente os preços dos imóveis. Nos anos seguintes, os preços dos imóveis em Portugal aumentaram gradualmente, mas ainda assim, eram relativamente baixos em comparação com os valores praticados atualmente.

A partir da década de 90, Portugal começou a experimentar um período de desenvolvimento econômico e estabilidade política, o que teve um impacto significativo no mercado imobiliário. Com a entrada do país na União Europeia em 1986 e a realização de grandes eventos como a Expo 98, em Lisboa, o mercado imobiliário em Portugal começou a se expandir e a se tornar cada vez mais atrativo para investidores estrangeiros.


De acordo com dados do INE, em 2022, o preço médio das habitações em Portugal era de cerca de 1.300 euros por metro quadrado. Isto é, em média, 18 vezes mais caro do que em 1974. Além disso, o salário mínimo em Portugal em 2022 era de 775 euros por mês, o que indica uma grande discrepância entre o valor das habitações e a capacidade financeira de grande parte da população.

O aumento dos preços dos imóveis em Portugal pode ser atribuído a diversos fatores, como a crescente procura por imóveis por parte de estrangeiros, especialmente em cidades como Lisboa e Porto; o crescimento do turismo, que impulsionou a criação de novas unidades hoteleiras e o aumento da oferta de alojamento local; e a falta de oferta de imóveis para arrendamento a preços acessíveis.

Em conclusão, os preços dos imóveis em Portugal hoje, em 2023, são significativamente mais elevados do que em abril de 1974, período em que ocorreu a Revolução dos Cravos. A estabilidade política e econômica das últimas décadas impulsionou o crescimento do mercado imobiliário, tornando o país cada vez mais atrativo para investidores estrangeiros. No entanto, o aumento dos preços das habitações em Portugal criou grandes desafios para a população, especialmente para aqueles com menos recursos financeiros.